RELATÓRIO DE ESTÁGIO
domingo, 3 de janeiro de 2010 by Reciclagem de Artigos in

RELATÓRIO DE ESTÁGIO
EDUCAÇÃO INFANTIL



KARMEM AMAMBAHY

PROFESSOR ORIENTADOR - FÁBIO GOULART DE ANDRADE

TUTOR ELETRONICO-PATRICIA CRISTINA AMBROSIO PROENÇA


EUCLIDES DA CUNHA-BAHIA

2007

-INTRODUÇÃO

É fundamental que o professor tenha clareza de sua intencionalidade pedagógica para saber intervir, garantindo que os conceitos utilizados sejam compreendidos, sistematizados e formalizados pelo aluno.

Dessa forma o professor precisa acompanhar o processo de aprendizagem da criança, ou seja, entender seu caminho, seu universo cognitivo e afetivo, bem como sua cultura, historia e contexto de vida.

Cabe a nós professores que não estando preparados, devemos nos preparar para esse fim, dando maior ênfase ao trabalho com atividades lúdicas.

Todo trabalho a ser desenvolvido na educação infantil deve buscar o lúdico, a musica, atividades ligadas á descoberta e a criatividade. A música ajuda a afinar a sensibilidade, aumenta a capacidade de concentração desenvolve o raciocino lógico matemático e a memória além de ser um forte desencadeador de emoções. Basta que inicie alguns compassos seja de que música for para eles fazerem aquela algazarra.

Os adultos devem respeitar o desenvolvimento das crianças e encoraja-las em sua curiosidade, valorizando seus esforços, proporcionando segurança, tranqüilidade, alegria, criando um clima afetivo. O compartilhar de conhecimentos e trocas de idéias contribui para as ações coletivas que sustentam a pratica pedagógica.
Os materiais são instrumentos importantes para o desenvolvimento da tarefa educativa, auxilia na ação da criança onde exploram os objetos, conhecem suas funções transformam em brincadeiras dando novos significados.

Os brinquedos são de diversas origens dão suporte ao brincar e podem ser comprados confeccionados pelos professores e pelas próprias crianças. Usar, usufruir, cuidar e manter os materiais são aprendizagens importantes nessa faixa etária.

Um dos caminhos conhecidos é trabalhar com textos infantis explorando bem todos os recursos lingüísticos desses textos, tanto visuais quanto auditivos, bem aproveitados esse caminho pode dar origem a um trabalho maior, que além da linguagem oral estimule outras formas de expressão e paralelamente desperte a afetividade, proporcionando a brincadeira internalizando uma compreensão particular sobre as pessoas, os sentimentos e os diversos conhecimentos.

Podemos afirmar que, para uma grande maioria das crianças, o tempo de infância tem sido encurtado. Em virtude das circunstancias econômicas em que vivem. Tanto a instituição família quanto a instituição escola deixam a desejar, pois não assumem verdadeiramente o seu papel na educação da criança, principalmente quando não respeitam sua especificidade, o seu tempo de ser criança. Ambas cobram atitudes e comportamentos que ela, ainda não está preparada para assumir.

Novos caminhos devem ser trilhados na relação escola e família, é preciso formas de comunicação sobre o andamento dos trabalhos com as crianças compreender o que acontece com os pais, entender seus valores ligados a procedimentos disciplinares, hábitos de higiene, formas de se relacionar com as pessoas. De modo a atender necessidades e interesse também diversificados. Não só as questões culturais e regionais podem ser inseridas nos projetos pedagógicos, mas também as questões afetivas e motivações familiares. Acolher os pais com suas duvidas, angustias e ansiedades, oferecendo apoio e tranqüilidade contribui para que a criança se sinta segura. Estabelecer uma relação de confiança com as famílias deixando claro que o objetivo é a parceria de cuidados e educação visando ao bem-estar da criança.

2-OBJETIVOS

Sensibilizar o educador sobre a importância de sua ação no mundo para que perceba a clareza de sua missão através de uma retrospectiva do seu trabalho e de sua influencia do desenvolviments seres humanos, especialmente das crianças e adolescentes.

3-REVISÃO BIBLIOGRAFICA:

É fundamental ressaltarmos a importância da Educação Infantil porque é nessa fase que as crianças desenvolvem-se no meio em que estão inseridas nos diferentes aspectos: cognitivo,afetivo, moral, social e motor de forma quantitativa e qualitativa. Os vários aspectos e dimensões do desenvolvimento não são áreas separadas e, por isso é fundamental considerarmos a educação Infantil como um todo, promovendo e ampliando suas experiências e conhecimentos, estimulando seu interesse pelo processo de transformação da natureza pelo convívio em sociedade.

O grande desafio da educação infantil e de seus profissionais é compreender, conhecer, e reconhecer o jeito particular das crianças serem e estarem no mundo. Elas são únicas em suas individualidades e diferenças. (PCN)

As novas funções para a educação infantil devem estar associadas a padrões de qualidade, auxiliando o desenvolvimento das capacidades de apropriação e conhecimento das potencialidades corporais, afetivas, emocionais, estéticas e éticas na perspectiva de contribuir para a formação de crianças felizes e saudáveis.

O desenvolvimento integral depende tanto dos cuidados relacionais, que envolvem a dimensão afetiva e dos cuidados com os aspectos biológicos do corpo, como a qualidade da alimentação e dos cuidados com a saúde, quanto da forma como esses cuidados são oferecidos e das oportunidades de acesso a conhecimentos variados.
As crianças quando observadas ouvidas e respeitadas podem dar pistas importantes sobre a qualidade do que estão recebendo. É preciso que o professor ajude a identificar suas necessidades e prioriza-las, e atende-las de forma adequada, interessar-se sobre o que sente, pensa o que ela sabe sobre si e sobre o mundo, visando a ampliação deste conhecimento e de suas habilidades que aos poucos a tornarão mais independentes e mais autônomos.

A interação social em situações diversas é uma das estratégias mais importantes do professor para a promoção de aprendizagens pelas crianças. A conversa a troca de informações é muito importante para o desenvolvimento da criança em qualquer área do conhecimento.
Cabe ao professor propiciar situações de conversas, brincadeiras ou de aprendizagens orientadas de forma que possam comunicar-se, expressar-se, agir, pensar, e sentir em um ambiente acolhedor com confiança e auto-estima. É preciso que os brinquedos pemitam que as crianças criem, exercitem a imaginação, a criatividade.
A nossa militância é pelo direito da crianças a desfrutar do ócio, de brincar de criar, de imaginar e de sonhar. Direitos que devem se estender a todas as crianças, e não somente áquelas oriundas das classes mais favorecidas.

Cunha (1994, p.26), faz algumas ressalvas como:
[...] é brincando que a crianças se desenvolve, exercitando suas potencialidades. [..]brincando, a criança aprende com toda riqueza do aprender fazendo, espontaneamente, sem estresse ou medo de errar, mas com prazer pela aquisição do conhecimento.[...], brincando a criança desenvolve a sociabilidade, faz amigos e aprende a conviver respeitando o direito dos outros e as normas estabelecidas pelo grupo.[...]e, principalmente, porque, brincando a criança está nutrindo sua vida interior, descobrindo sua vocação e buscando um sentido para sua vida.

As crianças se desenvolvem em situações de interação social, nas quais conflitos e negociação de sentimentos, idéias e soluções são elementos indispensáveis, e pode se estabelecer nesse processo uma rede de reflexão e construção de conhecimentos na qual as crianças avancem no seu processo de aprendizagem.
As atividades que proporcionam a interação com os colegas são ricas oportunidades de crescimento.
O processo de educação se dá nessa interação entre o viver do aluno e o viver do educador. O segredo da construção desse aconchego afetivo esta em professores que gostam do que fazem, tem carisma para serem educadores, em suma tem vocação para a profissão.


Individualizar a educação infantil é levar em conta suas singularidades, respeitando-as e valorizando-as como fator de enriquecimento pessoal e cultura.
Esse processo possibilitará a elas modificarem seus conhecimentos prévios, matiza-los, amplia-los ou diferencia-los em função de novas informações, novas aprendizagem tornando-as mais significativas.

De acordo os RCNs, a qualidade das experiências oferecidas ás crianças, nas escolas de educação infantil, devem estar embasadas nos seguintes princípios: o respeito á dignidade, o direito ás brincadeiras, o acesso aos bens sócioculturais e é socialização das crianças por meio de sua participação e inserção nas mais diversificadas práticas sociais. Dessa maneira, as atividades devem ser oferecidas para as crianças não só por meio das brincadeiras, mas também ser advindas de situações pedagógicas orientadas.

Detectar os conhecimentos prévios das crianças não é uma tarefa fácil, implica que o professor estabeleça estratégias didáticas para fazê-lo. Quanto menores são as crianças mais difícil é a explicitação de tais conhecimentos os gestos, movimentos corporais, sons produzidos, expressões faciais, ou brincadeiras e toda forma de expressão, representação e comunicação devem ser considerados como fonte de conhecimento para o professor sobre o que a criança já sabe.

Cuidar de uma crianças em um contexto educativo demanda a integração de vários campos de conhecimentos e a cooperação de profissionais de diferentes áreas(BRASIL,198,p.24).

Considerando que as instituições de atendimento á primeira infância devem propiciar ás crianças uma educação de qualidade, o profissional deve ser altamente qualificado para atender ás demandas desse nível de ensino.


Muito dos profissionais de educação infantil não tem função adequada e trabalham sob condições precárias é preciso investir de maneira sistemática na capacitação e atualização permanente desses professores, aproveitando as experiências acumuladas daqueles que já vem trabalhando com crianças há mais tempo e com qualidade.
Dando condições de acesso á carreira como professores de educação infantil.
O trabalho direto com crianças pequenas, exige que o professor tenha uma competência polivalente que esteja comprometido com a pratica educacional e formação bastante ampla do profissional tornando um aprendiz, refletindo constantemente sobre sua pratica, debatendo com seus pares, dialogando com as famílias e comunidade e buscando informações necessárias para o trabalho que desenvolve
Precisa ser alguém muito bem informado sobre o que acontece no contexto infantil estudar sempre, tentar inovar no sentido de renovar o que é válido e transformar aquilo que já é ultrapassado.
Justifica-se, portanto, a necessidade urgente de se reconduzir a formação do educador e a ação pedagógica de forma a adequá-los ás características socioculturais dos alunos e aos desafios educacionais dos novos tempos.
Um dos fatores que contribuem para essa problemática diz respeito á inexistência de uma articulação entre a formação inicial e continuada, ou seja, enquanto na formação inicial a proposta de muitos fica reduzida somente ao exercício da docência, deixando ao acaso as demais dimensões da atuação profissional, a formação continuada tem se reduzido a cursos, seminários, oficinas e outros eventos que muitas vezes, não atingem as dificuldades e necessidades educativas mais urgentes do professor.
Na realidade, o aprendizado dos saberes teórico tem um espaço desproporcionalmente maior que o aprendizado prático que, por sua vez, ocupa um lugar periférico.

A tradição verbalista dos cursos de formação de professores, muitas vezes coloca o acadêmico em contato com livros, no interior da universidade, mas pouco se vai á realidade, ás escolas, para observar e aprender no contexto como se processa a relação ensino e aprendizagem (KISHIMOTO,2002)

É necessário reconsiderarmos a formação do profissional da Educação Infantil, pois na realidade, tentar traçar o perfil das professoras da infância significa considera-las em seu contexto sociocultural, incluindo também a existência de contradições sociais como as oposições de gênero,raça,idade e classe social.

O professor deve estar atento ás necessidades das crianças, uma vez que disso depende a construção de um vínculo entre quem cuida e que é cuidado.

São instrumentos essenciais para a reflexão sobre a pratica direta com as crianças a observação, o registro, o planejamento e a avaliação. Levando em consideração as particularidades da faixa etária compreendida entre zero a seis anos e as suas formas específicas de aprender.

. A escola é o primeiro espaço de socialização que as crianças conhecem depois de sua casa, está nas mãos do professor torná-los independentes de acordo como que é esperado para cada faixa etária, oferecendo condições para que as crianças aprendam a conviver, a ser, e a estar com os outros e consigo mesmas em uma atitude básica de aceitação de respeito, de confiança, identidade e autonomia.
Para que elas tenham autonomia é preciso estabelecer uma parceria constante com os pais, dar afeto companhia constante atenção e cuidados, incentivar a executar tarefas que pode realizar sozinho, parabenizar sempre a cada iniciativa de sucesso.


São, portanto, os professores que tem o compromisso de intervir, liderar provocar mudanças, agindo sempre com autoridade, mas sempre respeitando a liberdade a identidade de ser diferente do outro.
É importante que se tenha presente que não basta que os professores aprendam a conviver com as diferenças de suas crianças, mas que eles possam tomá-las como fazendo parte dos conteúdos, transformados em temáticas norteadoras do currículo escolar, colocando-se como desafio, no cotidiano da sala de aula.
O desenvolvimento de atividades que oportunizem as crianças a possibilidade de diferenciar o seu universo, o seu mundo de vivências daquele que o rodeia, incluindo o respeito aos colegas.
O papel do educador é mostrar, estimular o convívio, o respeito e a valorização das diferenças, a escola é o lugar ideal para fazer isso.

O domínio progressivo das diferentes linguagens que favorecem a expressão e comunicação de sentimentos emoções e idéias das crianças propiciam a interação com os outros e facilitam a mediação com a cultura e os conhecimentos constituídos.

Considerando que a experiência da educação infantil precisa ser muito mais qualificada, pois as instituições voltadas para o atendimento a primeira infância são necessárias e indispensáveis na sociedade, elas dever ser também um local onde o professor possa construir sua identidade profissional na interação com seu pares.

E importante que o professor considere as possibilidades que os conteúdos oferecem para o avanço do processo de aprendizagem e para a ampliação do conhecimento.
Devem ser trabalhados de forma integrada, relacionados entre si, contextualizando cada elemento na complexidade do meio.

A pratica educativa é bastante complexa e são inúmeras as questões que se apresentam no cotidiano e que transcedem o planejamento didática e a própria proposta curricular.

O objetivo da ação pedagógica é a relação lúdica e prazerosa da criança com a leitura e a comunicação entre o texto e leitor constitui o caminho para chegar a ser leitor.
A inclusão dos livros de contos nos projetos de ensino são motivadores, indispensável para criar e estimular o gosto pelos livros, desencadeadores da imaginação.

[...]Para efetivamente, atender os novos desafios os professores precisam estar”onde seu alunos estão,” como leitores, identificando a zona de desenvolvimento proximal:o lugar em que cada um pode operar quase, mas não totalmente, como um leitor independente (Vygotsky, 2000ª;2000b).

Resgatar contos e narrativas conhecidas pelas crianças e pelo professor, organizando um espaço e momento para lê-los ou contá-los oralmente, programar a hora da leitura, privilegiando um período preferencialmente diário, através de estratégias diversificadas que propicie algo novo na relação das crianças com a literatura.

Segundo Góes(1990), se o trabalho com o livro de literatura não é atraente e se o professor não faz do encontro criança e livro um momento gratificante, a criança só pode demonstrar desanimo e desinteresse no momento da leitura.

Aos professores também compete intensificar a leitura e debruçar-se sobre a magia das historias com um coração de criança. Quem gosta de ler, mais facilmente ajuda o outro a mergulhar no prazer de desvendar o mundo da escrita.

-METODOLOGIA
Local
O estagio foi desenvolvido na escola pública municipal denominada Antonio Carlos Magalhães na cidade de Quijingue, na região Nordeste. É considerada de pequeno porte atendendo alunos de classe média da educação Infantil do Ensino Fundamental.
O estágio supervisionado foi realizado com uma turma de 25 alunos de quatro a cinco anos.
Algumas práticas desenvolvidas no estágio procuram fornecer uma idéia de como foi o trabalho desenvolvido com as crianças. Primeiramente fiz as observações e um breve estudo do nível dos alunos, (perguntando o nome deles, idade, nome da mãe etc.) a partir desse levantamento questionei a professora regente como ela realizava seu trabalho, e durante a observação as respostas se configuraram á minha concepção de conteúdo e metodologia em sala de aula.
Na minha concepção muita prática limita-se á elaboração de planos de unidade. Pensando na minha atuação procurei planejar atividades significativas para as crianças

As atividades foram desenvolvidas a partir do cotidiano da criança aquilo que vivenciam, dentro de um contexto social e histórico onde as relações sociais são percebidas como uma multiplicidade de acontecimentos de pensamentos hábitos, concepções de vida utilizando diferentes maneiras: textos, filmes, livros de literatura infantil, fotos, textos produzidos pelos próprios alunos, revistas questionamentos, musicas dramatizações etc.
Um trabalho dinâmico dentro de um contexto significativo para a criança. Neste espaço trabalhado o conhecimento não foi apenas transmitido, foi produzido e elaborado. O ambiente tem variedades de cores formas e tamanhos que estimula a percepção visual, nas paredes da classe além do listão (chamada dos alunos fixada na parede) tem diversos painéis com as letras do alfabeto,números expostos, desenhos, textos criados pela professora e pelos alunos. Durante a leitura eles aprendem a ouvir o que estão lendo com atenção e curiosidade. Sempre aproveitava qualquer coisa que chamasse atenção das crianças, para valorizar a curiosidade e envolver na animação das aulas. A intervenção do estágio e as propostas de trabalho existentes na escola foi uma boa oportunidade de entrosamento pedagógico incorporando as mesmas propostas do projeto vamos brincar. O tema exigiu um repensar na programação de conteúdos coerentes e significativos focando a questão da leitura e da produção textual considerando as bases teóricas e adotando a pedagogia da compreensão o que significa em nosso entender ensinar, informar, questionar, possibilitar e incentivar questionamentos para que o aluno vá manifestando suas construções. Na base de tudo está o texto daí a importância de trabalhar com formas variadas de leitura que privilegiam as antecipações, inferências,explorações de recursos expressivos.lembrando que a leitura se faz globalmente, em zigue e zague e que a leitura de imagens merece atenção. De certa forma este trabalho também responde a uma necessidade crescente no meio acadêmico de que as praticas resultantes relacionam-se diretamente ao planejamento da ação docente. Nos jogos e brincadeiras foram observados o interesse, as relações interpessoal e a aprendizagem dos objetivos proposta para os mesmos em relação a várias áreas de conhecimento. As atividades realizadas em grupo desenvolvem atitudes de cooperação e solidariedade, a mediação do colega ou do próprio professor aponta a existência de um nível de desenvolvimento proximal. Na hora da leitura são apresentado textos verbais e não verbais, enfatizando sempre o sentido e a função do texto através da expressão oral, dando oportunidade de participação a todos os alunos, alguns lêem pequenos textos outros apenas identificam símbolos palavras, letras, depois de cada texto vem o momento de conversar provocando debate sobre o assunto apresentado por intermédio da leitura, conversa e comparação de textos estamos propiciando a ampliação dos conhecimentos dos alunos contribuindo para aprendizagem dos usos sociais da escrita e da organização textual. Os alunos escrevem do jeito como acham que as palavras são escritas para depois construir as palavras no quadro com ajuda dos colegas e professor permitindo diferentes maneiras de escrever. É um momento especial, pois os erros cometidos serão pistas que o ajudarão a intervir no processo, e que mostrarão os caminhos percorridos pelo aluno na tentativa de ler e escrever. A atividade lúdica é muito importante no processo de socialização. É primordial que o brinquedo, o jogo, o lazer, o prazer marquem sempre um encontro com a criança na sala de aula, visam incitar e excitar a imaginação das crianças e criar uma situação de aprendizagem. É preciso considerar que não existe uma criança, mas muitas crianças com vivências variadas. Temos que aproveitar o momento para a troca, o enriquecimento, através das diferentes experiências da vida. A criação de historias também faz parte do jogo simbólico, da brincadeira é fundamental para que tenhamos conhecimentos das hipóteses de escrita que fazem. A força da historia é imensa narrador e ouvintes se envolvem magicamente com as personagens, ler e ouvir historia acalma, prende a atenção, informa, socializa, e educa. É importante para a formação de qualquer criança é o momento de prazer, envolvimento e descoberta por isso deve ser bem preparado pelo professor em ambiente aconchegante, com boa pontuação e expressão variando o tom de voz para dar ênfase aos personagens nas suas emoções
-CONSIDERAÇÕES FINAIS

Acredito que apesar das adversidades e arbitrariedades com as quais convivemos em nossa sociedade ainda é possível se fazer alguma coisa boa pela escola.
È nesse sentido que procuro ampliar meu horizonte com as diversas formas de lidar com o conhecimento que a escola esta imbuída de recontextualizar propondo novos sentidos e significados para o movimento de ensinar e aprender.
O aprendizado é um modo particular de construção de conhecimentos em uma situação em que há uma intervenção intencional externa. O professor vai apresentar então situações que considera que possam favorecê-lo.
Penso ser interessante ampliar o trabalho pedagógico dessa área de educação infantil buscando compreender e conhecer as crianças que vêm de diferentes contextos econômicos sociais e culturais. Refletindo algumas questões, conclui-se que as concepções dos professores também precisam ser revistas e reestruturadas. Quando estes começam a entender o pensamento das crianças começam a descobrir que elas são inteligentes, ativas e criativas. Significa que todos são capazes de ler e escrever, cada um segundo seu próprio nível, inclusive o próprio professor.

REFERENCIAS:

Referencial Curricular Nacional para Educação Infantil
Ministério da educação e do desporto Secretaria de Educação Fundamental
Brasília – MEC/SEF, 1998

VARELLA Noely Klein- Leitura e escrita: Temas para Reflexão
Noely Klein Varella-Porto Alegre- Ed. Premier, 2004

Xavier Maria Luisa Merino, Zen Maria Izabel H.Dalla- O Ensino nas Séries Iniciais: Das Concepções Teóricas ás Metodologias- Porto Alegre- Ed- Mediação,1997 (Caderno Educação Básica,v,1)

Curso Normal Superior: módulo 7. Londrina:UNOPAR: 2007
Os Referenciais Curriculares para a Educação Infantil
DELGADO Jaqueline

APÊNDICES

Projeto “Vamos Brincar”
Identificação:
Escola – Municipal Antonio Carlos Magalhães
Professora-
Turma-Educação Infantil
Duração 20 h

Justificativa
O brincar é atividade fundamental na vida da criança para o desenvolvimento da identidade e da autonomia, enquanto se divertem, as crianças estão aprendendo, se conhecendo, descobrindo o mundo.
“Pela oportunidade de vivenciar brincadeiras imaginativas e criadas por elas mesmas, as crianças podem acionar seus pensamentos para a resolução de problemas que lhe são importantes e significativos. Propiciando a brincadeira, portanto cria-se um espaço no qual as crianças podem experimentar o mundo e internalizar uma compreensão particular sobre as pessoas, os sentimentos e os diversos conhecimentos.” (RECNEI, vol..01)
Objetivos Específicos:
Brincar,
Interessar-se por brincadeiras
Relacionar-se de forma amigável com o colega
Valorizar e ter cuidado com o próprio brinquedo, dos colegas, da escola,
Romper paradigmas: menino= carrinho, menina=boneca,
Participar de situações de socialização.

Objetivos Gerais
Movimento
Apropriar-se progressivamente da imagem global de seu corpo, conhecendo e identificando seus segmentos e elementos e desenvolvendo cada vez mais uma atitude de interesse e cuidado com o próprio corpo.

Música
Explorar e identificar elementos da musica para se expressar, interagir com os outros e ampliar seu conhecimentos do mundo.

Artes Visuais
Produzir trabalhos de arte utilizando a linguagem do desenho, da pintura, da modelagem, da colagem, da construção, desenvolvendo o gosto, o cuidado e o respeito pelo processo de produção e criação.

Linguagem Oral e Escrita
Familiarizar-se com a escrita por meio do manuseio de livros, revistas e outros portadores de textos e da vivencia de diversas situações nas quais seu uso se faça necessário.
Natureza e Sociedade
Interessar-se e demonstrar curiosidade pelo mundo social e natural, formulando pergunta.

Matemática
Reconhecer e valorizar os números, as operações numéricas, as contagens orais e as noções espaciais como ferramenta necessária no seu cotidiano.

Atividades Propostas:

Música e Movimento
Danças e expressões corporais com as musicas:


Artes Visuais
Produção de trabalhos com técnicas diversas: desenho, colagem, pintura, modelagem
Confeccionar os instrumentos musicais
Registrar com desenho seu brinquedo preferido
Confeccionar brinquedos com sucatas: boliche, bola, vai vem
Confeccionar carrinhos com caixa de pasta de dente e tampinhas

Linguagem Oral e Escrita
Livros de registro “Caixa de coleção”
Roda da leitura: A lebre e a Tartaruga, Palhaço,
Bingo do nome
Meu Diário, (produção textual)
Alfabeto móvel
Roda da conversa

Natureza e Sociedade
Utilizar de diferentes tipos de pesquisa como; revista, jornal, livros, etc.

Matemática
Contagem oral dos brinquedos confeccionados
Contagem dos brinquedos da “caixa de coleção”
Contagem e registro dos brinquedos que cada aluno (a) trouxe para montarmos a “caixa de coleção”
Gráficos dos brinquedos que os meninos mais gostam, dos brinquedos que as meninas mais gostam.


Recursos Utilizados:

Avaliação:
Realizada através da observação, dos relatos feitos pelas crianças, (roda de conversa) diariamente demonstrando seus sentimentos e atitudes tomadas depois das atividades realizadas.
As atividades proporcionam as crianças oportunidades para demonstrar, verbalizar e valorizar as brincadeiras.


Escola Municipal Antonio Carlos Magalhães
Data 01/10/2007 segunda-feira
Alunos Atendidos - Educação Infantil
Estagiaria – Maria do Carmo Abreu Silva Amambahy

Roteiro do Dia

Objetivo:Proporcionar e estimular a interação das crianças a partir das brincadeiras e jogos identificando diferenças e semelhanças de cada brincadeira.
Desenvolver a leitura e a escrita a criatividade e imaginação .

Acolhida- objetivo: valorizar a presença do aluno no seu espaço pedagógico
música Penerei o fubá
A professora forma um roda com as crianças, cantando e fazendo gestos

Chamada-
Listão dos nomes, a professora coloca todos em circulo e pede que cada um vá até o listão para identificar o nome, identificando a primeira e ultima letra.

Roda de Conversa
Objetivo: Falar e ouvir sobre sentimentos, emoções, curiosidades e descobertas.

Essa atividade deve ser promovida diariamente antes de todas as outras. Sentados em circulo num lugar aconchegante as crianças falam de si, expressam sentimentos, opiniões, e pontos de vista. Em contra partida elas aprendem a ouvir os outros.
É um bom momento também para resolver conflitos e para tratar de assuntos de interesse comum, como uma notícia que está na mídia. É importante que a roda de conversa aborde o que realmente acontece entre as crianças, afinal ela é um retrato de suas relações sociais.

Recursos utilizados:
Tapete, almofadas, e material sobre o tema a ser tratado se for noticia é preciso um jornal ou uma revista


Bingo do Nome
Escrever na cartolina as letras do alfabeto, recortar e colocar na caixa.
Entregar um pedaço de papel a cada aluno e pedir para que coloque seu nome.
Brincadeira:
Ditar as letras conforme o sorteio e pedir as crianças para irem marcando. Ganha o aluno que marcar as letras sorteadas primeiras.
Através da dinâmica o aluno compreende as letras do alfabeto. Ficar atenta para ver se estão marcando corretamente.

Leitura-Poesia “Leilão de Jardim” Cecília Meireles
Exposição do texto na lousa, lista de palavras que rimam
Produção de frases; dobradura, a professora convidará os alunos para fazerem juntos as dobraduras do caracol, borboleta, sapo e flores. Em seguida irão desenhar um jardim e colar as dobraduras criando frases de acordo sua ilustração.

Escola Municipal Antonio Carlos Magalhães
Data 02/10/2007 terça-feira
Alunos Atendidos - Educação Infantil
Estagiaria – Maria do Carmo Abreu Silva Amambahy

Roteiro do Dia


Objetivo - Proporcionar um momento de interação, descontração através de músicas, dinâmicas, jogos e brincadeiras diversas.

Acolhida- música Palhaço Pimpão
A professora cantando e gesticulando conforme a música

Chamada- Através do listão em ordem alfabética, questionando assim:
Quantos colegas vieram á aula hoje?
Quantos faltaram? Vamos escrever o nome deles?


Meu Diário
Objetivo: Elaborar relatos e construir um diário com escrotas, fotos, e outros objetos.
Ao fim de cada dia, reunir as crianças para falar sobre as coisas mais marcantes que cada um viveu na escola.
Anotar as falas em caderno e colar lembranças que apóiem esses relatos, como fotografias, embalagens de algum lanche que foi dividido entre os colegas ou um desenho feito em grupo.
Depois de algumas semanas, as crianças podem levar o diário para casa, uma por vez, para contar a família as aventuras do dia-a-dia na escola. Essa atividade pode se estender pelo ano todo.


Roda de leitura:
Texto o Palhaço em roda a professora faz a leitura dando ênfase a fala, gestos etc.
Em seguida faz a interpretação oral questionando o entendimento dos alunos.

Produção textual- dramatização feita pelos alunos e confecção do palhaço. A professora entrega aos alunos um palhaço desenhado na folha e eles irão fazer bolinhas de papel crepom de várias cores e colorir conforme sua imaginação e criativdade

Recursos utilizados:
Caderno, caneta, lápis, cola fita adesiva, fotos, e objetos relacionados as experiências diárias, pape crepom, papel sulfite etc.


Escola Municipal Antonio Carlos Magalhães
Data 03/10/2007 quarta-feira
Alunos Atendidos - Educação Infantil
Estagiaria – Maria do Carmo Abreu Silva Amambahy

Roteiro do Dia


Objetivo-descontrair as crianças no seu espaço pedagógico

Acolhida-música “Que bom que você veio”
Estratégia-convidar os alunos para formar um circulo onde todos irão cantar e fazer gestos.

Chamada- Cada aluno vai até a lousa escrever seu nome

Texto- a lebre e a tartaruga
Objetivo- Desenvolver a leitura e a escrita a criatividade, imaginação através de uma aprendizagem significativa. Participar das brincadeiras e jogos respeitando as regras do jogo e saber perder e ganhar.


Estratégias:
Exposição do texto na lousa, leitura feita pela professora em seguida acompanhada pelos alunos, questionamento oral sobre o texto, lista de palavras que chamaram mais atenção,instigar sobre o conhecimento prévio dos alunos em relação ao titulo do texto, despertando a curiosidade e interesse para o ato da leitura, após a leitura questionar de forma lúdica a compreensão dos mesmos.

Caixa Surpresa- A professora levou para sala uma tartaruga dentro de uma caixa, convidou os alunos para formar um circulo e aguçou a curiosidade com perguntas:
Que imagina o que tem aqui nessa caixa?
Quem vai ser o primeiro a advinhar?
Será que é um animal?
Um chocolate? E assim sucessivamente...


Produção textual - entregar uma folha de oficio e palitos de fósforo para cada aluno, para que os mesmos construam seu desenho de maneira mais adequada, após a construção do desenho feito com palitos, pedir para contar e registrar na lousa a quantidade de palitos que cada aluno usou na construção.
Cada aluno irá descrever o desenho que formou

Brincadeira do dia: Passe a bola
Forma –se duas fileira cada fileira estará com uma bola, o primeiro da fila estará com a bola e terá que dá uma volta em uma cadeira que estará em um ponto X, ao retornar entrega a bola para o outro colega e vai para traz da fila. Será vencedor o grupo que terminar primeiro.


Escola Municipal Antonio Carlos Magalhães
Data 04/10/2007 quinta-feira
Alunos Atendidos - Educação Infantil
Estagiaria – Maria do Carmo Abreu Silva Amambahy

Roteiro do Dia


Objetivo- recontar as histórias através das imagens, gravar em fita cassete.
Conhecer e apreciar textos literários,e falar das preferências e dos sentidos dos textos.
Proporcionar um ambiente escolar aconchegante.

Conteúdo- Contos literários

Acolhida- em circulo iniciar uma roda de conversa sobre curiosidades e descobertas onde as crianças possam falar de si, expressar seus sentimentos, opiniões e pontos de vista do que acontece entre elas no dia-a-dia.

Chamada-crachá para identificação de nomes.
Sentados em roda, com os crachás no centro,começa a cantoria:
Se eu fosse um peixinho e soubesse nadar
Eu tirava a_____________ (nome do colega escolhido e identificação da ficha correspondente) do fundo do mar. E assim sucessivamente.

Hora da leitura
Selecionar os livrinhos de historias infantis que vão ser lidos pelas crianças; na hora da leitura organizar a turma de maneira que todos possam escutá-lo e enxergar as ilustrações.
Reunir em uma roda distribuir livrinhos para cada um e pedir que façam a leitura individualmente, em seguida cada crianças reconta a historia e a professora grava sua narração considerando todas as colocações e preferências; avaliando sua criatividade, imaginação, percepção da seqüência da historia (inicio, meio e fim) e sua interpretação das imagens.
Todos irão ouvir suas narrações gravadas.
Em seguida escrever a historia através de gravuras e formar algumas palavras do texto lido, com o alfabeto móvel e fazer a escrita do seu jeito.


Escola Municipal Antonio Carlos Magalhães
Data 05/10/2007 sexta-feira
Alunos Atendidos - Educação Infantil
Estagiaria – Maria do Carmo Abreu Silva Amambahy



Roteiro do Dia
Objetivo-desenvolver a leitura e a escrita imaginação e criatividade, raciocínio lógico a partir das atividades e brincadeira lúdicas.


Acolhida-Musica

Eu sou um Artista
Eu sou um artista que venho de Quijingue
Nós somos artistas que viemos da Bahia
Eu vou tocar bateria
Nós também vamos tocar
pá pá pá

Eu sou um artistQue venho de Olinda
Nós somos artistas que viemos de Olinda
Eu vou tocar violino
Nós também vamos tocar
fri, fri, fri

Eu sou um artista
Que venho do Amazonas
Nós somos artistas que viemos da Amazonas
Eu vou tocar sanfona
Nós também vamos tocar
fom, fom, fom
Eu sou um artista
Que venho de Salvador
Nós somos artistas que viemos de Salvador
Eu vou tocar o tambor
Nós também vamos tocar
Pó, Pó Pó
Eu sou um artista
Que venho do Pará
Nós somos artistas que viemos do Pará
Eu vou parar de tocar
Nós também vamos parar
Pá, pá, pá, fri, fri, fri, fom, fom, fom,pó, pó, pó...


Chamada-fichas com nomes
A professora entregará fichas em branco para que os alunos escrevam seu nome.

Caixa de coleção:
Resolvemos fazer uma coleção de brinquedos, para isso cada aluno trouxe da casa um brinquedo e então montamos uma “caixa” para colocar a coleção.
Depois de manuseá-la bastante em sala de aula (classificando,ordenando,contando seus objetos e registrando-os), chegou a vez em que cada aluno por ordem alfabética levaria a caixa de coleção para casa.
Dentro da caixa havia também o diário onde os pais registrariam a emoção do (a) filho (a) em receber a caixa em sua casa, e os alunos registravam através de desenhos.
Todos os alunos esperavam ansiosos o seu “grande dia.”

Trabalhamos com a contagem e registro dos brinquedos que cada criança trouxe em seguida montamos um gráfico na lousa com as crianças “meninos e meninas” marcando seu tipo de brinquedo preferido.
Seguido de comentários e observações.

Confecção e Jogo dos boliches das letras: (Confeccionado com embalagens de plástico refrigerante de 2 litros)
Com as garrafas formar um triângulo dividir a turma em grupos cada integrante joga a bola nas garrafas, o grupo deve ler as letras do que forem derrubadas, ganha o grupo que derrubar e acertar mais nomes de letras. Pedir que citasse palavras que comece com as letras derrubadas ou até mesmo das que não caíram.

Utilizamos o vídeo de “Os Carrinhos 2 Aventuras em Rodópolis” de vídeo brinquedo e em seguida confeccionamos carrinhos com caixa de pasta de dente e tampinhas.